quarta-feira, 13 de julho de 2016

sobre bixas, novelas e visibilidade



Eu lembro que eu fiz uma festa pra juntar bixas pra assistir ao primeiro beijo gay na novela. Era 2005. Todo mundo ainda via novela. E já tava ficando comum que toda novela tivesse pelo menos uma personagem bixabitravasapatão. Mas faltava o beijo. Não tinha beijo. Mal tinha afeto. No máximo um passar de dedos no cabelo enquanto olha no olho. Pra vc ter ideia, uns anos antes, duas sapatão tomaram banho junta numa novela e pá, mataram elas uns capítulos depois. O beijo seria o auge da política da visibilidade. A  H O M O S S E X U A L I D A D E  não só falada, não só insinuada, mas vista, boca com boca, num beijo de tesão e amor na sala da família brasileira bem na hora do jantar! Era o momento em que a gente começava a forçar manifestações públicas de afeto. Lula tinha acabado de assumir. Não tinha preto nem pobre na universidade. Nem casamento. Nem sombra de kit gay. Redes sociais ainda eram irrelevantes e o Presidente dos Estados Unidos era o Bush. Daí você imagina. Aquele beijo teria uma importância considerável na disputa cultural que a gente tava vivendo. A gente já tinha aprendido a ter orgulho nos anos 80/90 e agora a gente queria era sair do armário de vez, se fazer ver, na família, na faculdade, no trabalho. E na rua. A gente precisava perder o medo de andar na rua. As pessoas precisavam aprender a lidar com bixa, com sapatão, com travesti. Em muitas casas ainda não se  f a l a v a  sobre isso. A gente já casava, já morava junto, mas ainda interpretava a amiga em vários contextos. Inclusive na família. Mesmo que todo mundo já soubesse, em poucas casas isso era um assunto de boa e em quase todas o afeto ainda era vetado. Mesmo aquela mãe super bacana e pra frentex (a minha por exemplo) ainda tinha problemas com isso. O beijo da novela seria a realização do beijo que a gente queria dar no almoço de família! Talvez o beijo desse força pra começar aquela conversa, que já faz tempo você devia ter tido, porque ser viado é uma coisa que se contava, como uma revelação (com consequências imprevisíveis e muitas vezes violentas). A novela ainda era a praça pública dessa cidadezinha provinciana chamada Brasil. O lugar onde todo mundo se encontrava. Se disse no jornal nacional, então é verdade. Se beijou na novela, então pode beijar na praça, no shopping, na faculdade, e no jantar de natal. Talvez o beijo resolvesse tudo, magicamente, e acabasse com todos os nossos medos. Talvez a gente tivesse pedindo pra televisão fazer uma coisa que a gente mesmo ainda não conseguia. É. Não teve beijo. Gravaram. Chegaram a gravar. Mas cortaram. A alta direção mandou cortar. Era lance muito arriscado. Não tinha arco-íris no face (nem face). Não tinha boticário, avon, c&a, nenhuma empresa que já tivesse usado bixa travesti ou sapatão como estratégia de marketing. Passar o beijo seria vanguardismo de mercado demais pra uma empresa conservadora como a Globo (e ela já tava inovando bastante pra época) ou compromisso político (que só um idiota esperaria de uma mega corporação de mídia). Não teve beijo. E mais uma vez eu entendi que a gente tava por nossa conta. E a gente mesmo beijou. E foi beijando. Cada vez mais. E tomando a rua. E fazendo paradas gigantescas. E enchendo a Paulista como nenhum coxinha ou petista jamais conseguiu. E tomando rua e praça em cidadezinhas de vinte mil habitantes. E fazendo parada em favelas maiores que elas. E garantindo do lado de cá a nossa existência. Hoje é a Globo que suplica audiência. Felizmente hoje eu posso ver só a cena, na internet, sem gastar nem mais um minuto do meu tempo, sem nem mesmo precisar ligar a televisão. A Globo vai acabar. Não demora muito tempo. E por inabilidade pra lidar com as mudanças de mercado. Simplesmente porque ela não consegue enxergar o óbvio. Porque ela só faz o que já é passado. A Globo vai acabar. Mas as bixas vão continuar. As sapatão vão continua. As bi, as trava, as trans, as queer, as não-binária, as puta que pariu que a gente inventar de ser. A gente vai continuar. Cada dia mais lindas, cada dia mais livres e cada dia mais  b e i j a n d o.

quarta-feira, 23 de março de 2016

eles tão jogando com a gente. os dois lados





A minha teoria é essa: eles tão jogando com a gente. os dois lados. E se você (coxinha ou esquerdinha) olhar com cuidado, vai perceber que os dois lados tão meio cagados. O pt, convenhamos, não tá muito bem na fita. São várias tretas, listas, cuecas, delações. Essa é só mais uma. Tem boas chances mesmo do Lula ser dono do sítio, do triplex no Guarujá (pelo menos não é em Maricá) e até dos pedalinhos. É claro que a Dilma nomeou o Lula Ministro pra ele não ser preso. E ainda ligou pra ele! (o foda é o amadorismo). Ao mesmo tempo, já tá óbvio que a atuação do Moro é uma iniciativa partidária. não é política. Ele não é um juiz obstinado a combater corrupção (ele acabou de decretar sigilo numa lista de pagamento de uma das maiores empreiteiras com o nome de duzentos políticos!), nem um coxinha inveterado que odeia o pt (eles não odeiam, eles tem interesse). Ele tá participando (e não acho que ele tome as decisões sozinho) de uma das várias iniciativas da disputa partidária. Tem um grupo que sacou que (tem chances) dá pra tomar na força o que não deu pra tomar no voto. O cara divulga uma escuta da presidenta da república, quebra o segredo de justiça de horas e horas de conversa privada do Lula, faz uma "condução coercitiva" que nem precisava - o Lula é de boa, ele ia depor se convidasse - e a Globo transforma tudo num circo midiático. Aliás, já deu pra perceber que a Globo faz parte do esquema, né? (tem um cara que jura que presenciou uma ligação do Bonner pro Gilmar Mendes durante uma reunião de pauta do JN(!) A gente não tá mais em 1980, a gente já sacou que televisão manipula, distorce, maqueia, mente - e a Globo é especialista nisso. (e não tá sozinha).







Já tem internet, então rolam outras fontes de informação. Você não precisa acreditar no que lê na Veja, né? (só se você quiser, pq eles dizem o que vc gostaria de ouvir, mas, convenhamos...)



Ah, e tem o Eduardo Cunha lá, com quinhentos processos, usando o cargo pra se manter no cargo (e os juízes tudo quietim).Tem o Temer, planejando o novo Ministério. E com a Roseana Sarney!


k


Meu deus! Jeová! Pq é isso! Com impeachment quem assume é o PMDB!!! Cês jura que pra combater a corrupção a gente vai botar o partido notoriamente mais corrupto no comando da presidência da república e da câmara e do senado? WTF! Tá parecendo polícia paulista, que fecha a paulista pra não deixar manifestante fechar a paulista. Pq assim, o PT ainda é um corrupto adolescente. O PMDB tá no governo há décadas! eles são o rei do esquema. então, desculpa, mas, impeachment é uma opção estúpida (se vc quer acabar (kkk) com a corrupção). Mas serve, se o que vc quiser mesmo é tirar esse povinho nojento do governo. Acabar com essas palhaçadas de cota, kit viado, essa piranha de presidenta e esse culto à alma de pobre, cafonéééérrima, típico desse brasilzinho subdesenvolvido de terceiro mundo. Bom, se você pensa assim, isso não faz de você um brasileiro contra a corrupção. Faz de você um babaca, que não consegue viver num mundo em que você seja foda (e mais uns poucos amigos) enquanto a imensa maioria das pessoas é merda, pq é feia, pq que é gorda, pq é bicha, pq é puta, pq é preta, pq é pobre (só pra você saber, é isso que as pessoas querem dizer quando chamam alguém de coxinha). É 2016 gata, já tá na hora de mudar seus conceitos. Ou vc vai ficar que nem aquela tia velha e chata reclamando que o mundo de hoje não presta? Pq a gente vive no mundo de hoje. Sempre, invariavelmente, no mundo de hoje. E o hoje muda. Mudou. E pra melhor. Admite. Tem mais gente comendo, tem mais gente estudando, trabalhando. Não enxergar isso é negar realidade. Então, relaxa e curte esse novo hoje. Porque esse hoje bacana pode acabar. O Bolsonaro tá com 6%. (esse cara é um idiota, você sabe disso). Tão dando porrada em ciclista em São Paulo.



Essa porra tá virando fla flu! Já tem gente da minha família que eu não falo mais. Tá foda. E a gente tá brigando por pessoas que não valem a pena. Eu to me fudendo pro Lula, pra Dilma, vão pedir ajuda pra Katia Abreu. Esse governo não é de esquerda faz muito tempo - reforma da previdência, uma porrada de privatização disfarçada de concessão, agora anunciou que podem barrar o aumento real do salário mínimo e abrir plano de demissão voluntária pra servidor público! Isso enquanto segue entregando metade do orçamento federal (sim, madame, inclusive o seu imposto de renda!) pra pagar juros da dívida. Gente, é o Fernando Henrique! Se você é de direita, você não devia tá brigando contra esse governo! Se você é de esquerda, você não devia tá defendendo esse governo. E aí é que é que tá o ovo do pato. Você aí, esquerdão, descolado, pós-moderno, marxista histórico ou só bicha intelectual, já pensou que você também pode estar sendo manipulado? Que o alto clero do PT (não aquele seu amigo gente boa) que eles e elas também tão jogando contigo? O mito do líder do proletariado? Cai na real. A mulher presidenta - que não discute aborto, que veta kit antihomofobia. O governo de esquerda que corta 10 bilhões da educação, enquanto entrega mais de 5 bi pros grupos de educação privada pelo FIES.
Essas são historinha pra boi dormir. Que a caixa de supermercado não cai, mas intelectual com mestrado sim. Aliás, pára de se achar a politizada, a que entendeu tudo e tenta explicar pra essa massa de gente burra e retrógrada. Isso não faz de você mais inteligente. Faz de você chata. Só isso.
Eles tão jogando com a gente. Os dois lados. Os dois manipulando ideologicamente, cada um do seu jeito. Mas não se engane. Eles tão se aproveitando de uma disputa social e cultural real. Tem sim gente branca incomodada com preto e pobre na faculdade. Tem homem machista querendo botar esses viados no lugar e restaurar o valor da família (a dele). E tem bicha, preta e pobre que não vai mais voltar pro armário nem pro quartinho de empregada. E que tá abusada mexxxxxxmo! Eu não to dizendo que essa disputa não existe. Ela é real. Ela tá no nosso dia a dia. É luta de classe, raça e gênero. Mas Lula, Moro, Dilma, Aécio, eles não tão disputando projetos de mundo. eles não tão nessa briga. a briga deles é outra, e tem a ver com cargo, dinheiro, negócio. Só isso. Tem uma briga que é partidária (nessa eu quero que eles se explodam) e tem uma briga que é simbólica, que é gente branca classe média querendo pobre preto nordestino bicha de volta pro seu lugar. essa eu brigo. mas brigo muuuuuuuuito. mas brigo sem usar a camisa deles. sem estrelinha, sem bandeirinha do Brasil. brigo como eu sempre briguei, como tanta gente briga, todo dia, e vai continuar brigando. E é por isso que esse mundo vai continuar mudando. Com ou sem Dilma. E pra melhor. Então, aproveita a Páscoa, faz as pazes no almoço de família, volta a seguir os amigos do facebook e relaxa. keep calm. Dá uma desopilada, até pra gente enxergar melhor. Até pra gente pensar melhor e de repente se dar conta das coisas estúpidas que pode tá fazendo (e compartilhando). (você pode se pegar defendendo um golpe de Estado que tire quem ganhou democraticamente uma eleição pra botar uns sangue sugas no lugar, ou defendendo um governo que não defende mais nada do que você acredita). Resgata na memória que eles não são de confiança. Nenhum deles. E que talvez seja uma ideia estúpida esquentar tanto a temperatura. Porque, querid, não subestime a história: sempre pode dar merda.